Resumen

O Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), criado em 1998 para avaliar a qualidade da educação oferecida para os jovens brasileiros, tem se consolidado como a principal porta de acesso ao Ensino Superior no Brasil. Contudo, ainda é pequeno o número de estudos voltados a analisar a qualidade do exame e dos itens que o compõe. Para contribuir com esta temática, este artigo tem o objetivo de analisar a qualidade psicométrica da Prova de Matemática da edição de 2018 do ENEM/Brasil. Metodologicamente, trata-se de uma pesquisa predominantemente quantitativa e exploratória, desenvolvida a partir da aplicação de técnicas psicométricas a uma amostra de  respondentes, matriculados no 3º ano do Ensino Médio no ano de sua aplicação. Os resultados indicaram uma prova de confiabilidade satisfatória . Quanto aos itens que a compõem, identificou-se 4 que apresentavam problemas de ajuste ao modelo logístico de 3 parâmetros da Teoria de Resposta ao Item (TRI), adotado pelo exame, 1 que apresentava coeficiente de discriminação significativamente baixo  e 5 que apresentavam coeficiente de dificuldade acima dos limites considerados aceitáveis neste estudo , definidos a partir de consulta à literatura especializada. Esses resultados nos levam a concluir que uma porcentagem considerável dos itens da prova analisada (22.7%) apresenta parâmetros psicométricos insatisfatórios. Tendo em vista que qualquer imprecisão sinalizada pode comprometer a validade dos resultados obtidos, sugere-se que os processos que envolvem a criação, revisão, testagem e calibração dos itens sejam aprimorados, de modo a garantir a isonomia do exame.

Palabras clave: psicometria, análise estatística, matemática, avaliação