Resumen

Este artigo trata da atuação do escritor, professor e jornalista Euclides de Vasconcelos César, na cena pública do Ceará dos anos de 1920, pondo em destaque, por um lado, seu papel intelectual através da imprensa, como defensor da liberdade e igualdade religiosas, do Estado laico republicano e, por outro lado, analisando-se sua atuação como agitador cultural através da criação da Academia Polimática, promovendo a instrução pública, o culto cívico e a defesa da fraternidade universal. De pertença maçônica e espirita, e sólida cultura positivista, Euclides César se fará também elemento de promoção de redes de solidariedade intelectual espiritualista de caráter diverso, capazes de fazer frente à acirrada oposição do clero católico local.