Resumen

O presente texto procura responder questões referentes ao processo de estruturação a maçonaria nas décadas iniciais do século XX, procurando posicionando-se de maneira crítica à tese veiculada por Sergio Buarque de Holanda, o qual defendia que, com a instauração da República, a maçonaria teria saído de cena e dando lugar ao ideário positivista. O que foi possível observar ao diferente da perspectiva veiculada por Buarque de Holanda, esse ideário não se efetiva na prática, pois a atuação intelectual dos maçons demonstra a dinâmica e vivacidade que a instituição usufruía ao longo das décadas iniciais da república.

Palabras clave: Maçonaria, intelectuais, pensamento político, Brasil