Resumen

Pretendo neste texto-conferência, problematizar algumas concepções e práticas de produção e aprendizagem de conhecimentos docentes em relação à prática de ensi- nar e aprender matemática. Para desenvolver essa problematização, tomarei como ferramenta de análise os conceitos de comunidade de prática (Lave & Wenger, 1991) e de aprendizagem social e situada (Wenger, 2001 e Lave, 2001) e destacarei e diferenciarei duas comunidades básicas no processo de produção/aprendizagem de conhecimentos docentes: a acadêmica e a profissional e suas respectivas práticas sociais.


A partir desses pressupostos, analisaremos e discutiremos o fracasso da perspectiva acadêmica, baseada na racionalidade técnica e ainda muito presente nas institui- ções brasileiras e americanas, de investigar as práticas profissionais de ensinar e aprender e de propor melhorias para o ensino da matemática.


A seguir, pretendo apresentar e descrever, algumas práticas emergentes de pes- quisa em comunidades investigativas constituídas por acadêmicos da universidade, professores da escola básica e futuros professores. Destacarei, nesta conferência, algumas experiências e alguns processos metodológicos de os professores investi- garem suas próprias práticas, tendo a participação e a colaboração de acadêmicos e de futuros professores. Para esse relato e análise, tomarei como referência os estudos e investigações desenvolvidos nos últimos dez anos em três grupos investigativos dos quais venho participando desde suas fundações. Darei desta- que especial à pesquisa do professor sobre sua prática, tendo como suporte ou apoio uma comunidade colaborativa e investigativa local formada por formadores, professores e futuros professores.


Diante da prática investigativa desenvolvida no interior dessas comunidades de educadores pesquisadores têm surgido novas modalidades de investigação que atende tanto à perspectiva dos professores da escola básica quanto aos acadêmicos e formadores da universidade.