Resumen

Uma das maiores aspirações da maçonaria moderna é a universalidade. Para concretizar esta vontade de ser global, um dos instrumentos fundamentais de qualquer potência maçônica, é a condução de suas relações exteriores. Existem diretrizes, apesar de suas muitas divisões, sobre as quais as potências se apoiam para que se reconheçam como legítimas, ou no jargão maçônico, regulares. Este artigo pretende construir uma introdução ao discurso da regularidade que tem sido o fio condutor de uma grande ala das potências maçônicas pelo mundo. Para dar concretude a tal discussão, analisarei brevemente as relações entre Brasil e Inglaterra no âmbito das potências classificadas como regulares, buscando entender como esse critério é construído, aplicado e modificado em contextos históricos distintos