Abstract

A continuidade da relação entre o pai e os filhos após o divórcio favorece o desenvolvimento da criança e da família. Este estudo teve por objetivo apresentar uma revisão integrativa da literatura de pesquisas empíricas, acerca da relação entre o pai e os filhos após o divórcio/separação conjugal. Os resultados sugerem que: existem fatores que favorecem e fatores que dificultam a relação entre pai e filhos após o divórcio; essa relação exerce influências sobre o desenvolvimento de crianças e adolescentes; a paternidade de pais separados é marcada por especificidades; e, intervenções psicológicas com o pai divorciado são indicadas para melhorar o funcionamento de famílias binucleares. Destaca-se a relevância desta temática para a formação de profissionais das áreas da saúde, educação e jurídica, pois se trata de um fenômeno multifacetado, complexo e relevante para o desenvolvimento da criança e da família.