Actualidades Investigativas en Educación ISSN electrónico: 1409-4703

OAI: https://revistas.ucr.ac.cr/index.php/aie/oai
Socialización del profesorado en una institución militar: la acción de mando como dispositivo
PDF (Português (Brasil))
XML (Português (Brasil))
EPUB (Português (Brasil))

Palabras clave

education
teacher education
teaching profession
socialization
educación
formación de docentes
docencia
socialización
educação
formação de professores
profissão docente
socialização

Cómo citar

Mauerberg Teche de Farias, T. A., Zanella Penteado, R., & de Souza Neto, S. (2021). Socialización del profesorado en una institución militar: la acción de mando como dispositivo. Actualidades Investigativas En Educación, 21(3), 1–34. https://doi.org/10.15517/aie.v21i3.48157

Resumen

 El objetivo es investigar la socialización docente en una institución educativa militar, a partir del análisis de la acción de mando (AC) en el ámbito de una Pasantía de Adaptación Técnica / PAT para la inserción de docentes civiles en la formación militar del Comando Aeronáutico Brasileño (COMAER). Se trata de una investigación cualitativa (estudio de caso) que hace uso de técnicas de análisis de diferentes documentos del PAT (planes docentes, manuales y normativas) y entrevistas a tres profesores de Educación Física participantes del PAT; los datos que se analizan mediante la técnica de análisis de contenido. La AC fue identificada en la planificación de la enseñanza y caracterizada en los elementos que la integran y que componen el lenguaje de enseñanza, en línea tanto con la expresividad (logopedia) como con la noción bourdieusiana de habitus corporal / hexis; utilizando calificadores y representaciones del cuerpo que trabajen para mantener lógicas de control en el contexto militar. Además, el proceso de enseñanza-aprendizaje de la AC corresponde a una pedagogía guiada por la primacía de la visibilidad, la codificación de prácticas y la imitación / reproducción de modelos, relacionada con una idea de la enseñanza como trabajo moral y técnico. AC trabaja en la enseñanza de la socialización de manera opuesta a lo recomendado para la construcción de la docencia como profesión.

https://doi.org/10.15517/aie.v21i3.48157
PDF (Português (Brasil))
XML (Português (Brasil))
EPUB (Português (Brasil))

Citas

Almeida, Carlos Alexsandro. (2019). Ação de comando como ferramental da liderança militar: uma análise da realidade do Exército Brasileiro [Trabalho de Conclusão de Curso]. Escola de Formação Complementar do Exército - Centro Universitário do Sul de Minas (UNIS-MG). Especialização de Gestão em Administração Pública.

Almeida, Maria Isabel de., Pimenta, Selma Garrido., Fusari, José Cerchi. (2019). Socialização, profissionalização e trabalho de professores iniciantes. Educar em Revista, 35(78), 187-206. Recuperado de https://www.scielo.br/j/er/a/RVf6F5s9DNwybqcZsVvdX5D/?format=pdf&lang=pt

Altet, Marguerite. (2001). As competências do professor profissional: entre conhecimentos, esquemas de ação e adaptação, saber analisar. In Philippe Perrenoud, Léopolf Paquay, Marguerite Altet e Évelyne Charlier (Orgs.), Formando professores profissionais: Quais estratégias? Quais competências? (pp. 23-35). Porto Alegre: Artmed Editora.

Arno, Fernanda. (2017). Instituições armadas, gênero e poder: reflexões para a transformação. Revista Estudos Feministas, 25(2), 983-985.

Bardin, Laurence. (2010). Análise de conteúdo. Lisboa.

Barros Filho, Clóvis., Lopes, Felipe., e Belizário, Fernanda. (2004). A construção social da voz. FAMECOS, Porto Alegre, (23), p 97-108.

Barros, Filho. (2005). A construção social da voz. In L. Kyrillos (Org.), Expressividade: da teoria à prática (pp. 27-42). Rio de Janeiro: Revinter.

Barroso, José. (2012). Cultura, cultura escolar, cultura de escola. Princípios Gerais da Administração Escolar.

Basei, Andreia Paula., e Bendrath, Eduard Ângelo. (2016). Habitus e habitus de classe: analogias com o desenvolvimento profissional dos professores de educação física. Acta Scientiarum Education. Maringá, 38(3), 319-327.

Behlau, Mara., Dragone, Maria Lúcia Suzigan., Nagano, Lúcia. (2004). A voz que ensina – o professor e a comunicação oral em sala de aula. Rio de Janeiro: Revinter.

Berger, Peter., e Luckmann Thomas. (2009). A Construção Social da realidade (31a. ed.; Tradução de Floriano de Souza Fernandes). Petrópolis, Vozes.

Bourdieu, Pierre. (1994). Esboço de uma Teoria da Prática. In Renato Ortiz, (Org.), A sociologia de Pierre Bourdieu, (Coleção Grandes Cientistas Sociais N° 39; pp. 46-86). São Paulo: Editora Ática.

Brasil, Ministério da Defesa. (2009). Regulamento de Continências, Honras, Sinais de Respeito e Cerimonial Militar das Forças Armadas.

Brasil, Ministério da Defesa. (2014). Comando da Aeronáutica. Planejamento Estratégico da Academia da Força Aérea- 2015-2030 (PE-AFA), Pirassununga.

Brasil, Comando da Aeronáutica. (2015). Plano de Modernização do Ensino da Aeronáutica (PCA, 37-11). Brasília, DF: DEPENS.

Brasil, Comando da Aeronáutica. (2015-a). Departamento de Ensino da Aeronáutica. Instrução do Comando da Aeronáutica (ICA) 37-393, de 2015. Currículo Mínimo da 1ª Fase do Estágio de Adaptação Técnico. Boletim do Comando da Aeronáutica n° 160, de 27 AGO. Recuperado de http://www.cpor.cta.br/images/pdf/cm/ica37-393-cm-eat.pdf

Brasil, Ministério da Defesa. (2015-b). Comando da Aeronáutica, Departamento de Ensino da Aeronáutica. Plano de Unidades Didáticas da 1ª Fase do Estágio de Adaptação Técnico (EAT), MCA 37-76. Recuperado de http://www.cpor.cta.br/images/pdf/pud/mca37-76pud-eat.pdf

Brasil, Comando da Aeronáutica. (2015-c). Departamento de Ensino da Aeronáutica. MCA 37-77/2015. Plano de Avaliação da 1ª Fase do Estágio de Adaptação Técnico (EAT). Recuperado de: http://www.cpor.cta.br/images/pdf/pavl/mca_37-77.pdf

Brasil, Comando da Aeronáutica. (2018). Normas Reguladoras para os Cursos e Estágios do Centro de Instrução e Adaptação da Aeronáutica – ICA 37-289. Recuperado de https://www2.fab.mil.br/ciaar/images/concursos/legislacao/ICA37-289.pdf

Brasil, Ministério da Defesa. (2019). Comando da Aeronáutica. Manual de Ordem Unida para o Comando da Aeronáutica / MCA 50-4.

Brasil, Ministério da Defesa. (2019-a). Comando da Aeronáutica, Recrutamento e Mobilização de pessoal, QOCON TEC MAG EAT/EIT. Recuperado de https://www.diariooficialdf.com.br/wp-content/uploads/2019/04/EDITAL-FAB-Magisterio.pdf

Brasil, Ministério da Defesa. (2020). Recrutamento e Mobilização de pessoal. AVICON QOConTecMagistérioEAT/EIT1-2020.

Carvalho, Marta Maria Chagas. (2000). Modernidade pedagógica e modelos de formação docente. São Paulo em Perspectiva, 14(1), 111-120.

Contreras, José. (2002). Autonomia de professores (Tradução Sandra Valenzuela. Edição Brasileira Selma Garrido Pimenta). São Paulo: Cortez.

Chaer, Galdino., Diniz, Rafael Rosa Pereira., e Ribeiro, Elisa Antônia. (2011). A técnica do questionário na pesquisa educacional. Evidência, Araxá, 7(7), 251-266.

Diniz-Pereira, Júlio Emílio. (2021). Nova tentativa de padronização dos currículos dos cursos de licenciatura no Brasil: a BNC – Formação. Revista Práxis Educacional, 17(46), 1-19. Recuperado de https://periodicos2.uesb.br/index.php/praxis/article/view/8916/5833

Falsarella, Ana Maria. (2018) Os estudos sobre a cultura da escola: forma, tradições, comunidade, clima, participação, poder. Educ. Soc., Campinas, 39(144), 618-633.

Farias, Gelcemar Oliveira., Batista, Paula Maria Fazendeiro., Graça, Amândio., e Viera do Nascimento, Juarez. (2018). Ciclos da trajetória profissional na carreira docente em educação física. Movimento, Porto Alegre, 24(2), 441-454.

Freidson, Eliot. (1996). Para uma análise comparada das profissões: a institucionalização do discurso e do conhecimento formais. Revista Brasileira de Ciências Sociais. São Paulo, 11(31),141-145.

Ferreira, Marieta de Moraes., e Amado, Janaína (Org.) (2006). Usos e Abusos da História Oral (8a. ed.). Rio de Janeiro: FGV.

Freire, João. (2012). Elementos de Cultura Militar: Glossário de termos linguísticos e estudo introdutório sobre organização e simbólica castrense. Lisboa: Edição Colibri.

Freitas, Rosineide Cristina. (2011). Estudo multicasos sobre a socialização profissional de professores de Educação Física em início de carreira. 97p. Dissertação (Mestrado em Educação). Instituto de Educação / Instituto Multidisciplinar, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica, RJ

Garcia, Marcelo Carlos. (1999). Formação de Professores: para uma mudança educativa. Porto/Portugal: Porto Editora.

Gauthier, Clemont., Martineau, Stéphane., Desbiens, Jean-François., Malo, Annie., e Simard, Denis (2006). Por uma teoria da Pedagogia. Editora Unijuí, Rio Grande do Sul.

Gariglio, José Ângelo. (2011). A socialização pré-profissional de um professor de educação física: a experiência no universo esportivo em questão. Pensar a Prática, 14(2), 1-10.

Gil, Antônio Carlos. (1989). Métodos e técnicas de pesquisa social (2a. ed.). São Paulo: Atlas.

Gil, Antônio Carlos. (2008). Como elaborar projetos de pesquisa (4a. ed.). São Paulo: Atlas.

Huberman, Michaël. (1995). O ciclo de vida profissional dos professores. In António Nóvoa (Org.) Vidas de professores (2a. ed.; pp. 31-62). Porto: Porto Editora.

Kyrillos, Leny (Org). (2005). Expressividade: da teoria à prática. Rio de Janeiro: Revinter.

Knoblauch, Adriane., Mondardo, Giselly Cristini., e Capponi, Luciane Aparecida Moraes. (2017). Algumas considerações sobre formação de professores e o habitus docente. Rev. Diálogo Educ., Curitiba, 17(54), 1335-1351.

Lahire, Bernard. (2015) A fabricação social dos indivíduos: quadros, modalidades, tempos e efeitos de socialização. Educação e Pesquisa, 41(spe), 1393-1404.

Lahire, Bernard. (2012). Homem plural: os determinantes da ação (Tradução de: Jaime A. Clasen). Petrópolis: Vozes.

Lüdke, Menga., e André, Marli. (1986). Pesquisa em Educação: Abordagens Qualitativas. São Paulo: EPU.

Marconi, Marina de Andrade., e Lakatos, Eva Maria. (1999). Técnicas de pesquisa. Técnicas de pesquisa São Paulo: Atlas.

Ministério da Educação. (2019). Governo federal lança programa para a implantação de escolas cívico-militares. Recuperado de http://portal.mec.gov.br/busca-geral/211noticias/218175739/79931-governo-federal-lanca-programa-para-a-implantacao-de-escolas-civico-militares

Moreira, Nádia Xavier., Cavalcanti Ludmila Fontenele., e Souza, Rodriane de Oliveira. (2016). Os sentidos atribuídos ao fenômeno da deficiência a partir do habitus militar. Ciênc. Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, 21(10), 3027-3035.

Moreira, Sônia Virginia. (2005). Análise documental como método e como técnica. In Jorge Duarte, A. Barros (Org.). Métodos e técnicas de pesquisa em comunicação (pp. 269-279). São Paulo: Atlas.

Nóvoa, António Sampaio da. (2017). Firmar a posição como professor, afirmar a profissão docente. Cadernos de Pesquisa, 47(166), 1106-1133.

Nóvoa, António Sampaio da. (2019). Entre a formação e a profissão: ensaio sobre o modo como nos tornamos professores. Currículo sem Fronteiras, 19(1), 198-208.

Oliveira, Alfredo Almeida Pina. (2007). Análise documental do processo de capacitação dos multiplicadores do projeto “Nossas crianças: Janelas de oportunidades” no município de São Paulo à luz da Promoção da Saúde (Dissertação Mestrado em Enfermagem em Saúde Coletiva). Escola de Enfermagem, Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil.

Oliveira, Anelise Martinelli Borges. (2018). Campo, habitus escolar e habitus militar: internalização de disposições no Colégio Tiradentes da Polícia Militar de Uberaba- MG. Revista Triângulo, Uberaba, 11(1), 181-195.

Oliveira, Luísa Tiago de., e Freire, João. (2012). Militares e Sociedade, Marinha e Política: um século de história. Actas de Jornada de Estudos. Instituto Universitário de Lisboa.

Pedersen, Vagner José. (2017). Voz do professor de Educação Física: uso, exigência, preparo e interação. Universidade de Araraquara - UNIARA; Programa de Pós-Graduação em Processos de Ensino, Gestão e Inovação. Araraquara.

Pedersen, Vagner José., e Dragone, Maria Lúcia. (2018). Peculiaridades do uso da voz por professores de educação física escolar: origem e função interativa. Distúrbios da Comunicação, São Paulo, 30(1), 201-207.

Penteado, Regina Zanella. (2015). Linguagens nas interfaces educação e saúde: a expressividade do professor de educação física - estudo de revisão. Rev. Bras. Educ. Fís. Escolar, 2, 125-147.

Ramalho, Betânia Leite., Nuñez, Isauro Béltran., e Gauthier, Clermont. (2003). Formar o professor, profissionalizar o ensino. Porto Alegre: Sulina.

Rosa, Alexandre Reis., Brito, Mozar José de. (2008). Mulheres Fardadas: Reflexões sobre Dominação Masculina e Violência Simbólica na Organização Militar. XXXII Encontro da ANPAD. Rio de Janeiro, 6 a 10 set. Recuperado de http://www.anpad.org.br/diversos/down_zips/38/EOR-C636.pdf.

Rosa, Alexandre Reis., e Brito, Mozar José de. (2010). “Corpo e alma” nas organizações: um estudo sobre dominação e construção social dos corpos na organização militar. RAC, Curitiba, 14(2), 194-211.

Rugiu, Antonio Santoni. (1998). Nostalgia do mestre artesão. Campinas: Autores Associados.

Rufino, Luiz Gustavo Bonatto., e Souza Neto, Samuel. (2021). A configuração do campo da formação de professores na educação física: do paradigma artesanal ao profissional. Cadernos de Pesquisa, 28(2), 65-89.

Sanchonete, Mônica Urroz., e Molina Neto, Vicenti. (2006). Habitus profissional, currículo oculto e cultura docente: perspectivas para a análise da prática pedagógica dos professores de Educação Física. Pensar a Prática, 9(2), 267-280.

Sanchonete, Mônica Urroz S., e Molina Neto, Vicenti. (2013). Rotinas, estratégias e saberes de professores de Educação Física: um estudo etnográfico. Rev. Bras. Educ, Fís. Esporte, 27(3), 447-457.

Santhiago, Ricardo., e Magalhães, Valéria Barbosa de. (2020). Rompendo o isolamento: reflexões sobre história oral e entrevistas à distância. Revista do Programa de Pós-Graduação em História Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 27. Recuperado de https://www.seer.ufrgs.br/anos90/article/viewFile/102266/58383

Santos, Lucíola Licínio de Castro Paixão., e Diniz-Pereira, Júlio Emílio. (2016). Tentativas de padronização do currículo e da formação de professores no Brasil. Cadernos CEDES, 36(100), 281-300. Recuperado de: https://doi.org/10.1590/CC0101-32622016171703

Sarti, Flávia Medeiros., e Araújo, Reis Palermo Machado de Araújo. (2016). Acolhimento no estágio supervisionado: entre modelos e possibilidades para a formação docente. Educação, 39(2), 175-184. Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/faced/article/view/19415/14795

Sarti, Flavia Medeiros., e Bueno, Michelle Cristina. (2017). Relação intergeracional e aprendizagem docente: elementos para rediscutir a formação de professores

Revista Educação em Questão, Natal, 55(45), 227-253.

Sarti, Flávia Medeiros. (2020). Dimensão socioprofissional da formação docente: aportes teóricos e proposições. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, 50(175), 294-315, Mar. Recuperado de https://www.scielo.br/j/cp/a/whjPHkRjzDpd4rRjpsJHFQh/abstract/?lang=pt

Setemy, Adrianna Cristina Lopes. (2018) Vigilantes da moral e dos bons costumes: condições sociais e culturais para a estruturação política da censura durante a ditadura militar. Topoi, Rio de Janeiro, 19(37), 171-197. Recuperado de https://doi.org/10.1590/2237-101X01903708

Setton, Maria das Graças Jacintho. (2002). A teoria do habitus em Pierre Bourdieu: uma leitura contemporânea. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, (20), 60-70.

Setton, Maria da Graça Jacintho., e Bozzetto, Adriana. (2020). Notas provisórias sobre a noção de socialização: uma leitura em periódicos da educação (1998–2018). Educ. Soc., Campinas, 41, e0227930.

Stake, Roberto. (2000). Case studies. In Norman K. Denzin and Yvonna Lincoln (Eds.), Handbook of qualitative research (pp. 435-454). London: Sage.

Stake, Roberto. (1995). The Art of Case Study Research. SAGE Publications.

Tardif, Maurice. (2013). A profissionalização do ensino passados trinta anos: dois passos para a frente, três para trás. Educação & Sociedade, Campinas, 34(123), 551-571.

Tardif, Maurice., e Lessard, Claude. (2012). O trabalho docente: Elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas. Petrópolis: Vozes.

Tardif, Maurice., e Moscoso, Javier Nunez. (2018). A noção de “profissional reflexivo” na educação: atualidade, usos e limites. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, 48(168), 388-411.

Tardif, Maurice., e Raymond, Danielle. (2000). Saberes, tempo e aprendizagem do trabalho no magistério. Educação e Sociedade, 21(73). Recuperado de https://www.scielo.br/j/es/a/Ks666mx7qLpbLThJQmXL7CB/?format=pdf&lang=pt

Teche, Tamara Aretta Mauerberg. (2017). O início da docência no ensino superior militar: dilemas e desafios do instrutor de Educação Física na caserna [Dissertação de Mestrado]. Universidade Metodista de Piracicaba (UNIMEP), Piracicaba, Brasil

Triviños, Augusto Nibaldo Silva. (1987). Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Editora Atlas.

Veenman, Simon. (1984). Perceived problems of beginning teachers. Review of Educcaional Research, 54(2), 143-178.

Vincent, Guly., Lahire, Bernard., e Thin Daniel. (2001). Sobre a história e a teoria da forma escolar. Educação em Revista, Belo Horizonte, (33), 7-47.

Comentarios

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

Métricas

Cargando métricas ...